Os posts deste Blog são copiados de outros
sites (pesquisando no Google)com seus devidos créditos.









Conta a historia de uma menina que ficou
órfã na Índia e viajou para a Inglaterra para viver na casa de um tio,
que ficou com a sua guarda.

No início do século XX, Mary Lennox (Kate Maberly) vivia na Índia
com seus pais, que não lhe davam muita atenção, deixando-a aos
cuidados de uma aia. Uma fatalidade os mata e, seis meses depois,
Mary desembarca em Liverpool, na Inglaterra, para viver com Lord
Archibald Craven (John Lynch), seu tio, na mansão Misselthwaite,
uma construção feita de pedra, madeira e metal, com mais de cem
quartos, uma fortaleza. Mary se sente deslocada e assustada, mas
não se dá por vencida. O tio era um homem fechado, muito amargo
pela perda da esposa há dez anos. Não conseguira superar o trauma.

Ele tinha um filho que sofria uma doença que o impedia de andar.
O tio, era muito presente embora quase sempre ausente na mansão,
falavam nele com medo, o tempo todo, mas ele sempre viajando,
numa constante fuga.
A casa era cheia de mistérios, governada por uma mulher muito
estranha, Sra. Medlock, autoritária e cheia de veneno, vivia a proibir.
Sua palavra chave era o NÃO. Nada pode, tudo é proibido, é
perigoso... Os empregados e as crianças tinham que viver sob sua
tirania e a vida corria lenta, limitadamente. Ela se privava de viver
bem e tentava impingir o mesmo às pessoas a sua volta.

A chegada da menina órfã (Mary) muda o clima da casa, dando
leveza e alegria. Mary não acreditava nas proibições da governanta.
Não a obedecia, desafiava-a. Transgredia as normas impostas. Aos
poucos, o castelo, de imensas portas fechadas, começou a se abrir
para ser explorado pela órfã. Cada dia ela fazia uma incursão por
alguma parte da imensa propriedade. Foi assim que, um dia, ela e
um amigo, irmão de uma serviçal da casa, encontraram o jardim
secreto.
Tal jardim escondido por altos muros teria sido freqüentado e cultivado
pela esposa do tio. Após sua morte, a chave do pesado portão se
perdera e ninguém entrava lá, há anos. Descoberto o Jardim, a menina
começou a cultivá-lo, com a ajuda do amigo e um velho jardineiro da
casa. Esperta, ela começou a inculcar em seu primo (a criança doente)
que ele era capaz de andar e ambos começaram a mudar as rotinas da
casa.
Passeavam às escondidas. O garoto doente foi descobrindo que não
era tão frágil e nem tão doente, quanto queriam que ele fosse. Tais
mudanças não agradaram a governanta, que tinha o poder e o controle
sobre a vida de todos na casa. Um dia, o dono da casa voltou de
viagem e recebeu um relatório das peraltices da sobrinha. Encolerizado
foi ter com ela, e a encontrou com o seu filho, brincando no jardim
secreto. O lugar onde jamais voltara desde a morte da mulher.

Para surpresa sua, o filho estava andando. Naquele momento, Lord
Archibald se abriu para a vida, ao ver a alegria do filho curado, das
flores e dos pássaros, e o brilho no olhar das crianças, naquele
esconderijo. Isso nos dá uma idéia de que em cada um de nós existe
um jardim secreto que às vezes deixamos de cultivar por causa das
dores ou pelas imposições da vida cotidiana.

Que tal resgatarmos nossos jardins secretos, permitindo que outras
pessoas façam parte dele, ajudando-nos a cultivá-lo, fazendo-o
florir!?!
O jardim secreto de cada um, é um lugar fantástico onde não existem
tristezas nem arrependimentos. Exala apenas perfumes, saudades e
boas recordações. Um esconderijo onde a força da amizade pode
trazer de volta a beleza da vida.
Assista o Jardim Secreto. Vale a pena... Um filme de rara beleza!

Alice martins







O JARDIM SECRETO DE CADA UM.

"Há dentro de todos nós essa necessidade de ter em algum lugar nosso jardim secreto, não onde vamos confinar nossos segredos, mas onde podemos ter um encontro real e exclusivo conosco."

CUIDE DE SEU JARDIM
"Não corra atrás das borboletas. Cuide de seu jardim e elas virão até você!Se passarmos todo o tempo desejando as borboletas e reclamando porque elas não se aproximam da gente, mas vivem no jardim do nosso vizinho, elas realmente não virão. Mas, se dedicarmos a cuidar do nosso jardim, a transformar o nosso espaço, a nossa vida, num ambiente agradável, perfumado e bonito, será inevitável... As borboletas virão até a nós... Dê o que você tem de melhor e a vida lhe retribuirá. "

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Algumas dicas sobre Violetas









As violetas
Originária da Tanzânia, as Violetas são plantas fáceis de cuidar.
Enfeitam colorindo, graças as cercas de seis mil espécies já catalogadas.
Cuidar de violetas é atividade comum e gratificante.
Cultivo
Embora os vasinhos de plásticos sejam mais charmosos e há quem tenha sucesso até com o cultivo em xaxins, as violetinhas vão bem mesmo em vasos de barro. Eles absorvem o excesso de umidade que pode até apodrecer as raízes da planta. Deve ter um furo na base, para a drenagem da água das regas. Antes de receber a muda, é conveniente mergulhar o vaso em algumas horas para com as paredes úmidas, assim o material não roubará a umidade do solo. Faça uma camada de drenagem no fundo do vaso, colocando um pedaço de cerâmica sobre o orifício e encha o vaso com a terra. Pode ser usada uma mistura com duas partes de terra de jardim, duas de terra vegetal e uma vermiculita. Plante a muda, centralizando a raiz e molhe até a água escorrer para o prato. Jogue o liquido fora e regue novamente.
A terra em que estiver plantada não deve ser encharcada, pois o excesso de água provoca o apodrecimento das raízes. As raízes das violetas são muito sensíveis, sendo importante que a terra usada no plantio seja uma mistura de boa qualidade, com boa aeração. Recomenda-se um pH em torno de 5,5 até 6,5.
O plantio das matrizes e mudas não deve ser muito profundo, pois isso provoca o apodrecimento da planta.
O melhor é fazer uma pequena cavidade com o dedo e introduzir uma folha sadia, sem enterrar. Essa folha será a matriz que irá originar as mudas. Quando isso começar a acontecer, torna-se necessário retirar a folha matriz para forçar o crescimento independente.
As flores de violetas necessitam de vários elementos químicos. A parte básica da adubação são os macronutrientes: Nitrogênio, Fósforo e Potássio.
As aplicações de adubos são necessários, durante todo o ciclo (ex. nitrato de cálcio, uréia e nitrato de potássio).
O melhor local é aquele com boa luminosidade, mas sem incidência direta dos raios solares. A temperatura ideal para as violetas varia de 22 a 24 graus centígrados - o mínimo é 15 graus e o máximo 30. Com pouca luz, elas não florescem; com muita, são capazes de florescer, mas suas folhas ficam queimadas nas bordas. A luz solar filtrada pelo vidro de uma janela, por exemplo, e temperaturas em torno de 25 graus C formam o ambiente ideal para a planta. Se for colocar o vaso no parapeito da janela, uma boa dica para garantir o crescimento simétrico da violeta é ir virando o vaso, semanalmente, obedecendo sempre o mesmo sentido.
Cuidados
A violeta também é susceptível a algumas pragas (tripes, ácaros, etc.)
Se sua violeta apresenta alguns sintomas, a resposta pode ser a seguinte:
Manchas queimadas: alto nível de E.C., intoxicação por produtos químicos.
Amarelecimento das folhas: índices de luz, baixo nível dos principais macronutrientes.
Folhas com manchas brancas/amarelas: água com temperatura inferior a 21ºC, principalmente no frio.
Manter o vaso no prato, em lugar fresco, com luz indireta.
O maior pecado é molhar a copa e as folhas da violeta. Para que não apodreçam, o melhor é colocar água no pratinho. Cuidado, no entanto, para não afogá-las, já que respiram pelas raízes. No verão, molhe duas vezes por semana e no inverno, uma vez só. A cada mês, faça uma rega por cima, deixando que a água leve embora os sais minerais que concentram sobre o solo prejudicando-o. Importante: ferva a água ou deixe descansando um dia para que o cloro, tão odiado pelas violetas, evapore.
Para a adubação, alterne os fertilizantes orgânicos (origem animal ou vegetal, como esterco e farinhas de osso e de peixe) com os inorgânicos (derivados do refino do petróleo ou de extrações minerais). O NPK (nitrogênio + fósforo + potássio) é um fertilizante inorgânico apreciado por essas plantas. Vem no teor desejado e você pode optar pela composição 10-10-5.
A temperatura ambiente é aceitável até um mínimo de 18 graus centígrados.








Fonte: http://blog.florencanto.com.br




Leia mais:



Cultivada desde em vasos de plástico até xaxins, as violetase também apresentam boa aceitação a vasos de barro, pois este tipo de vaso, acaba por absorver o excesso de umidade que pode levar a planta a ter problemas como o apodrecimento de suas raíses. Suas raízes são bastante sensíveis, requerendo um substrato de boa qualidade e aeração, evitando também o acúmulo de água.

Mudas
Para fazer a muda de uma violeta você precisa apenas retirar uma das folhas sadias, introduzi-la, sem enterrar em um novo vaso com terra de boa qualidade e regar. Essa folha será a matriz que dará origem à nova planta.
Caso você pretenda mudar sua violeta para vasos de barro, deixo mergulhado por algumas horas em um recipiente com água para evitar que o vaso acabe por absorver a umidade da terra logo após a muda. Ao fazer a muda, tenha um certo cudado para não plantá-la muito funda, pois caso isso aconteça você poderá perdê-la.
Não esqueça de regularmente fazer a nutrição de sua planta. Para saber mais sobre como adubar sua planta confira nossa postagem Sua planta não da mais flor? Que tal fazer uma adubação?.

Cuidados

Assim como qualquer outra planta, sua violeta está sujeita ao ataque de pragas. Em nossa série de postagens denominada "Devoradores de plantas" você poderá saber mais sobre algumas pragas e como combatê-las.

Se sua violeta apresentar algum sintoma fora do normal a causa pode ser:
Manchas queimadas - Elevado nível de E.C., intoxicação por produtos químicos.
Folhas amareladas - Quantidade de luz, falta de nutrientes.
Folhas com manchas brancas - Temperatura da água abaixo de 21 graus, principalmente no frio.
Evite molhar as folhas, quando for colocar água, coloque diretamente no vaso.
No verão, regue-a duas vezes por semana, no inverno apenas uma.
As violetas não gostam muito de cloro, for isso ferva a água ou deixe-a descansando um dia antes para que o cloro, tão odiado pelas violetas evapore.


Fonte  : http://floresiflores.blogspot.com/

Nenhum comentário:

No meu arquivo, você encontrará matérias de sites e blogs
que ensinam a como cuidar da natureza.
Se você assim como eu, deseja aprender, é só clicar nos ítens abaixo.

Obrigada pela visita .Volte sempre ao meu paraiso. Rejane

Floresça!
No principio da vida todos são iniciados como sementes...Quando o primeiro broto surge, o Mundo é apresentado a ele...e muitas vezes os brotos se perguntam: "Como brotei?"Outros nem sequer se dão conta.Vivencie o broto do momento...Flua nesse brotar...Cultive com amor o seu território, não deixe as ervas daninhas, construídas de sua própria ilusão, interferirem no seu crescimento...Vivencie este crescimento...Assim você será uma bonita árvore cheia de sabedoria e amor a oferecer...Sinta a necessidade do coração e vá em frente escalando a divindade do seu Ser...Acredite, o supremo mora em vc...Brote! Cresça! Sinta se você está crescendo no caminho certo, identifique, faça o movimento verdadeiro para que sua árvore não mingue. Florescer na vida é florescer no hoje, no agora e no amanhã! Floresça a sua vida, simplesmente floresça!
(Fênix Faustine)
"Sei que é nos sonhos que os jardins existem, antes de existirem do lado de fora. " Rubem Alves

"Eu acho que Deus, ao criar o universo, pensava numa única palavra: Jardim! Jardim é a imagem de beleza, harmonia, amor, felicidade. Se me fosse dado dizer uma última palavra, uma única palavra, Jardim seria a palavra que eu diria." Rubem Alves

221l

Casa , natureza e amor.Tudo que precisamos para ser feliz.

Rejane