Se você tiver um tempinho clique aqui e regue meu secreto jardim ok? obrigada!!


Gente, eu gostaria de deixar claro, que eu trago de outros
sites (pesquisando no Google) as informações sobre como cuidar de plantas e compartilho aqui, com quem precisa aprender , assim como eu também!!

Grata pela compreensão !!!
Rejane





Seja muito bem-vindo caro(a) visitante !!

O JARDIM SECRETO DE CADA UM.

Há dentro de todos nós essa necessidade de ter em algum lugar nosso jardim secreto, não onde vamos confinar nossos segredos, mas onde podemos ter um encontro real e exclusivo conosco. © Letícia Thompson

CUIDE DE SEU JARDIM "Não corra atrás das borboletas. Cuide de seu jardim e elas virão até você!Se passarmos todo o tempo desejando as borboletas e reclamando porque elas não se aproximam da gente, mas vivem no jardim do nosso vizinho, elas realmente não virão. Mas, se dedicarmos a cuidar do nosso jardim, a transformar o nosso espaço, a nossa vida, num ambiente agradável, perfumado e bonito, será inevitável... As borboletas virão até a nós... Dê o que você tem de melhor e a vida lhe retribuirá. "

sábado, 3 de abril de 2010

Rafia


http://www.jardinagemmundoverde.com.br/media/catalog/product/cache/1/image/5e06319eda06f020e43594a9c230972d/r/a/rafia.jpg




A palmeira rápis (Raphis excelsa) pertence à família das Palmáceas e é originária da China. É muito indicada para o cultivo em ambientes internos, onde pode alcançar até 3 metros de altura. Apresenta caules paralelos e recobertos de fibras. Suas folhas são palmadas, de coloração verde-escura. Apresenta crescimento lento e pede regas bem espaçadas, suportando solo mais seco. O clima indicado é o ameno, tendendo mais para o frio. Cultive-a em solo areno-argiloso, usando a seguinte mistura: 1 parte de terra comum de jardim, 1 parte de terra vegetal, 1 parte de pó de xaxim (pode ser substituído por composto orgânico) e 1 parte de areia. É suficiente adubar uma vez por ano, de preferência na primavera, usando uma formulação NPK (10-
10-10) e um pouco de húmus de minhoca.






A Rafis é uma das plantas que melhor se adapta em ambientes com pouca luminosidade. Você tem que verificar se o vaso comporta o tamanho da planta para que haja terra suficiente para planta se desenvolver. A terra tem que ser de boa procedência, não importa se a terra é muito argilosa ou arenosa, desde que seja de procedência confiável. O vaso deve ser bem montado, com uma camada de drenagem e depois a terra. Pode colocar pedriscos, seixos, ou casca de arvore como forração. O mais importante é a agua. Se a planta ficar dentro de casa onde não bata sol direto, 1 rega por semana é suficiente. E quando a planta "secar" observe bem essa secagem da folha:
>Se a folha ficar seca, quebradiça, é por falta de agua.
>Se a folha ficar marrom-avermelhada, é excesso de agua.










É adequada para cultivo em vasos destinados a ambientes internos iluminados ou meia sombra - evite o sol pleno porque queima suas folhas.


A terra deve ser fertilizada e sempre úmida. A poda das folhas deve ser feita nas pontas. Basta cortar em forma de lança - fazer um "V" na extremidade, retirando as "pontas duplas" de cada folha. Pode-se também cortar o ramo seco no início do seu caule.





Lembre-se de jamais colocá-la exposta ao sol direto, principalmente no horário de maior incidência solar! Mantenha sua ráfia em ambientes internos, mas que tenha luz. O ambiente deve ser iluminado, com sol indireto! Assim você manterá sua palmeira sempre verdinha e linda!

A palmeira ráfia gosta da terra úmida mas não encharcada.


Ah! Vale passar um paninho úmido em cada folha para retirar a poeira e deixá-la brilhando!



Quando é preciso trocar de vaso

Existem inúmeras diferenças entre o cultivo de plantas num jardim e o cultivo de plantas em vasos, mas a principal delas é a necessidade do transplante no cultivo em vasos. Veja aqui, quando e como realizar esta tarefa.

O cultivo de plantas em vasos nos permite ter dentro de casa as mais variadas espécies. É claro que para mantermos as plantas bonitas e saudáveis é preciso alguns cuidados especiais, principalmente com relação à luminosidade, temperatura, adubação e regas. Mas, existe também um outro fator fundamental, que muitas vezes é esquecido: o transplante.
No jardim, as raízes das plantas têm espaço e liberdade para crescer e podem buscar na terra toda a água e nutrientes necessários para o seu desenvolvimento. Mas nos vasos essa liberdade fica limitada. Com o tempo, mesmo com adubações regulares, a qualidade do solo fica prejudicada e o espaço para a expansão das raízes torna-se pequeno. Daí a necessidade do transplante.
Mas, como saber quando transplantar nossa plantinha? Alguns sinais podem indicar o momento certo. Eis alguns:

* raízes saindo pelos furos de drenagem;

* partes das raízes aparecendo na superfície da terra;

* o vaso começa a ficar pequeno em relação ao tamanho da planta;

* florescimento escasso ou inexistente;

* aparecimento de folhas muito pequenas ou defeituosas;

* raízes formando um bloco compacto e emaranhado.

Passo-a-passo, para não errar

Para facilitar o trabalho com o transplante de plantas, faça tudo planejado, em etapas:


1- No dia anterior ao transplante, de preferência à noite, comece os preparativos: regue todas a plantas que serão transplantadas, para facilitar a retirada do vaso. Limpe bem os vasos que serão utilizados. Se for utilizar vasos novos de cerâmica ou barro, mergulhe-os num tanque cheio de água até que parem de soltar bolhas. Isso ajuda a limpá-los bem e impedem que absorvam a umidade da mistura de terra que será colocada.
2 - Antes de iniciar o trabalho, escolha um local sombreado. Separe todas as plantas que necessitam de transplante e deixe todo o material necessário à mão (vasos, ferramentas, mistura de solo, cascalho para ajudar a drenagem, etc).
3 - Prepare a mistura de terra ideal para o replantio e reserve. Coloque cascalhos para drenagem no fundo do vaso, de forma que não obstruam totalmente o furo, prejudicando o escoamento do excesso de água.
4 - Coloque uma parte da mistura de solo no fundo do vaso e reserve.
5 - Agora é a hora de retirar a planta do vaso. A terra um pouco umedecida facilita o trabalho. No caso de haver muita compactação, afofe a terra superficialmente e passe uma faca de lâmina comprida entre o vaso e o torrão.
6 - Se a planta estiver num vaso pequeno, coloque a mão espalmada por baixo das folhas, cobrindo a superfície da terra e firmando as hastes entre os dedos. Vire o vaso para baixo e, para facilitar, bata-o levemente na beirada de uma mesa ou balcão. Normalmente, a planta sairá com facilidade, mas se isso não acontecer, evite puxá-la com força. Volte o vaso na posição inicial e tente soltar o torrão passando a faca novamente. Se houver nova resistência, quebre o vaso.
7 - Para retirar uma planta de um vaso grande, passe a lâmina de uma faca longa entre o torrão e o vaso. Deite o vaso na mesa e bata levemente com um pedaço de madeira nas laterais para soltar o torrão. Segure a planta com uma das mãos e vá virando o vaso lentamente, batendo devagar em toda a superfície. Quando perceber que o torrão está solto, puxe a planta delicadamente com o vaso ainda deitado.
8 - Com a mistura de solo já firmada no fundo do novo vaso, posicione o torrão da planta bem no centro. Na maioria dos casos, o topo do torrão deve ficar entre 2 e 5 cm abaixo da borda.
9 - Continue a colocar a mistura de solo, pressionando-a nas laterais para firmar bem a planta. Espalhe mais um pouco da mistura por cima e observe que a terra deve cobrir as raízes, sem encostar nas folhas inferiores. Para eliminar as bolhas de ar e acomodar a terra, bata o vaso levemente sobre a mesa e depois pressione a superfície com os dedos.

Misturas de solo paras vasos ou jardineiras

Mistura rica em matéria orgânica:

1 parte de terra comum de jardim
1 parte de terra vegetal
2 partes de composto orgânico

Ideal para plantas como: licuala ou palmeira-leque (Licuala grandis), camélia (Camellia japonica), cróton (Codiaeum variegatum), cica (Cycas revoluta), gardênia (Gardenia jasminoides), lantana (Lantana camara), planta-camarão amrelo (Pachystachys lutea), azaléia (Rhododendron xsimsii), flor-de-cera (Hoya carnosa), calceolária (Calceolaria herbeohybrida), petunia (Petunia x hybrida), calendula (Calendula officinalis), margarida (Chrysanthemum leucathemum).
Mistura argilosa:

2 partes de terra comum de jardim
2 partes de terra vegetal
1 parte de areia

Ideal para plantas como: papiro (Cyperus papyrus), gladíolo ou palma-de-santa-rita (Gladiolus), narciso (Narcissus poeticus), bastão-do-imperador (Nicolaia elatior), prímula (Primula obconica), gloxínia (Sinningia speciosa), estrelitzia (Strelitzia reginae, copo-de-leite (Zantedeschia aethiopica), calla (Zantedeschia aethiopica ‘Calla’).

Mistura arenosa:

1 parte de terra comum de jardim
1 parte de terra vegetal
2 partes de areia

Ideal para plantas como: palmeira-bambu (Chamaedorea elegans), planta-camarão vermelho (Beloperene guttata), buxinho (Buxus sempervirens), caliandra ou esponjinha(Calliandra), bico-de-papagaio ou poinsétia (Euphorbia pulcherrima), hibisco (Hibiscus rosa-sinensis), hortênsia (Hidrangea macrophylla), ixora (Ixora chinensis), giesta ou vassoura espanhola (Spartium junceum), primavera (Bouganvillea spectabilis), lírio-da-paz (Spatiphylum wallisii), espada-de-são-jorge (Sanseveria trifasciata), lança-de-são-jorge (Sanseveria cylindrica), onze-horas (portulaca grandiflora).
Mistura areno-argilosa:

1 parte de terra comum de jardim
1 parte de terra vegetal
1 parte de composto orgânico
1 parte de areia

*Ideal para plantas como: palmeira-rápis (Rhapis excelsa), árvore-da-felicidade-fêmea (Polyscias fruticosa), árvore-da-felicidade-fêmea (Polyscias guilfoylei), gerânio (Pelargonium sp.), gerânio pendente (Pelargonium peltatum).















A Rafis é uma das plantas que melhor se adapta em ambientes com pouca luminosidade.
























É muito indicada para o cultivo em ambientes internos, onde pode alcançar até 3 metros de altura. Se a folha ficar seca, quebradiça, é por falta de agua.














Se a folha ficar marrom-avermelhada, é excesso de agua.
























Apresenta crescimento lento e pede regas bem espaçadas, suportando solo mais seco. O clima indicado é o ameno, tendendo mais para o frio. Cultive-a em solo areno-argiloso, usando a seguinte mistura: 1 parte de terra comum de jardim, 1 parte de terra vegetal, 1 parte de pó de xaxim (pode ser substituído por composto orgânico) e 1 parte de areia. É suficiente adubar uma vez por ano, de preferência na primavera, usando uma formulação NPK (10-10-10) e um pouco de húmus de minhoca.

























Você tem que verificar se o vaso comporta o tamanho da planta para que haja terra suficiente para planta se desenvolver. A terra tem que ser de boa procedência, não importa se a terra é muito argilosa ou arenosa, desde que seja de procedência confiável. O vaso deve ser bem montado, com uma camada de drenagem e depois a terra. Pode colocar pedriscos, seixos, ou casca de arvore como forração. O mais importante é a agua. Se a planta ficar dentro de casa onde não bata sol direto, 1 rega por semana é suficiente. E quando a planta "secar" observe bem essa secagem da folha:


>Se a folha ficar seca, quebradiça, é por falta de agua.


>Se a folha ficar marrom-avermelhada, é excesso de agua. É adequada para cultivo em vasos destinados a ambientes internos iluminados ou meia sombra - evite o sol pleno porque queima suas folhas.











A terra deve ser fertilizada e sempre úmida. A poda das folhas deve ser feita nas pontas. Basta cortar em forma de lança - fazer um "V" na extremidade, retirando as "pontas duplas" de cada folha. Pode-se também cortar o ramo seco no início do seu caule.

























Lembre-se de jamais colocá-la exposta ao sol direto, principalmente no horário de maior incidência solar! Mantenha sua ráfia em ambientes internos, mas que tenha luz. O ambiente deve ser iluminado, com sol indireto! Assim você manterá sua palmeira sempre verdinha e linda!
























A palmeira ráfia gosta da terra úmida mas não encharcada.











Ah! Vale passar um paninho úmido em cada folha para retirar a poeira e deixá-la brilhando!












Nenhum comentário:

No meu arquivo, você encontrará matérias de sites e blogs
que ensinam a como cuidar da natureza.
Se você assim como eu, deseja aprender, é só clicar nos ítens abaixo.

Leia no meu arquivo.

Obrigada pela visita .Volte sempre ao meu paraiso. Rejane

Floresça!
No principio da vida todos são iniciados como sementes...Quando o primeiro broto surge, o Mundo é apresentado a ele...e muitas vezes os brotos se perguntam: "Como brotei?"Outros nem sequer se dão conta.Vivencie o broto do momento...Flua nesse brotar...Cultive com amor o seu território, não deixe as ervas daninhas, construídas de sua própria ilusão, interferirem no seu crescimento...Vivencie este crescimento...Assim você será uma bonita árvore cheia de sabedoria e amor a oferecer...Sinta a necessidade do coração e vá em frente escalando a divindade do seu Ser...Acredite, o supremo mora em vc...Brote! Cresça! Sinta se você está crescendo no caminho certo, identifique, faça o movimento verdadeiro para que sua árvore não mingue. Florescer na vida é florescer no hoje, no agora e no amanhã! Floresça a sua vida, simplesmente floresça!
(Fênix Faustine)
"Sei que é nos sonhos que os jardins existem, antes de existirem do lado de fora. " Rubem Alves

"Eu acho que Deus, ao criar o universo, pensava numa única palavra: Jardim! Jardim é a imagem de beleza, harmonia, amor, felicidade. Se me fosse dado dizer uma última palavra, uma única palavra, Jardim seria a palavra que eu diria." Rubem Alves

221l

Casa , natureza e amor.Tudo que precisamos para ser feliz.

Rejane